Exame Físico – Teste de Aptidão Física (TAF)

Esse tema é muito importante e eu quem diga, quando fiz do vestibular da Ufal para CFO em 2000, simplesmente enfiei a cara nos livros e nem me dei conta de que tinha que fazer um teste físico. E olhe que estava tentando EsSA e tinha passado para subinspetor da Guarda Municipal de Maceió.  (ahhh se eu soubesse que lá ia está ganhando mais que oficial, hehehe). Não passei no teste e tive que impetrar mandado de segurança, tendo em vista que só tive 15 (quinze) dias para me preparar tendo ciência das provas e dos índices. Foi muito desgastante e frustrante, não aconselho que ninguém vá ao concurso da área policial se confiando na Justiça, caso não passe no teste.

Bem, não faça pouco caso do teste físico, quem está estudando para a área policial não pode dizer que apenas estudar é se preparar. Preparar-se para essa área inclui o treinamento físico. Primeiro passo é conhecer os índices cobrados nos anos anteriores. Depois fazer na prática, não é imaginar, é realmente botar pra fazer, medir o tempo e as distâncias sem ficar se enganando. Para alguns será necessário mudar hábitos de vida: tais como uma alimentação diferenciada para reduzir o peso, ou para ganhar massa magra. Só digo uma coisa: não adianta estudar que nem um condenado e ficar no teste físico, porque ele realmente reprova e todos os seus detalhes são colocados no edital para não haver discussão, como houve na minha época de ingresso.

Primeiro passo: conhecer as provas e os índices exigidos nos concursos passados

Em 2006, a Copeve elaborou uma tabela sucinta para o TAF. Ela não contemplava a diferença de idade e a diferença de gênero (sexo) não teve uma equivalência esperada. Além disso, era tudo ou nada, ou se fazia aquele índice mínimo de cada prova ou era reprovado. Uma boa forma de tornar o teste prático, quando se precisa examinar muita gente ao mesmo tempo.
Mas aquela tabela de 2006, já estava ultrapassada para a época, agora 6 (seis) anos depois, não espero que façam daquele jeito. Mas vamos conhecer a tabela de 2006:

CORRIDA DE IR E VIR
Sexo: Feminino e Masculino
Procedimento: O candidato coloca-se em afastamento ântero-posterior das pernas, com o pé anterior o mais próximo possível da linha de saída. Com a voz de comando: “Atenção! Já!” o candidato inicia o teste com o acionamento concomitante do cronômetro. O candidato em ação simultânea, corre à máxima velocidade até os blocos eqüidistantes da linha de saída a 9,14m (nove metros e catorze centímetros), pega um deles e retorna ao ponto de onde partiu, depositando esse bloco atrás da linha de partida. Em seguida, sem interromper a corrida, vai em busca do segundo bloco, procedendo da mesma forma. O cronômetro é parado quando o candidato coloca o último bloco no solo e ultrapassa com pelo menos um dos pés a linha final. Ao pegar ou deixar o bloco, o candidato terá que cumprir uma regra básica do teste, ou seja, transpor pelo menos um dos pés as linhas que limitam o espaço demarcado. O bloco não deve ser jogado, mas sim, colocado ao solo.
Número de tentativas: 02 (duas); o candidato que na primeira tentativa não conseguir realizar o teste, terá uma segunda tentativa, com repouso de cinco minutos para a segunda tentativa.
Tempo de execução: conforme a tabela para o masculino e feminino.

TRAÇÃO DE BARRA FIXA
Sexo: Masculino
Procedimento: partindo da posição inicial (pegada) na barra, empunhadura em pronação, flexionar os braços ultrapassando o queixo em ângulo reto com o pescoço até a parte superior da barra, joelho em extensão, pés fora do solo, e voltar à posição inicial, ficando com os braços completamente estendidos. Não há tempo determinado para a execução dos movimentos, podendo o exercício ser executado de forma lenta ou rápida. Não é permitido impulsionar o corpo com as pernas ou balançar o corpo para executar cada flexão, bem como é proibido o contato das pernas ou do corpo com quaisquer objetos ou auxílios por parte de qualquer circunstante. Para a contagem serão válidas as trações corretamente executadas e encerra-se o exercício assim que o candidato largar a barra. Portanto, dentro da presente descrição serão computadas as trações executadas em que o queixo ultrapasse a altura da barra em ângulo reto e não tenha havido impulso com as pernas, corpo ou qualquer outro auxílio. Não será computada a primeira tração, caso o candidato a realize com aproveitamento do impulso tomado durante o salto para a empunhadura na barra. O candidato somente iniciará o exercício após a autorização do avaliador, que deverá fazer a contagem das repetições corretamente realizadas em voz alta.
Número de tentativas: será aceita apenas 01 (uma) tentativa.
Tempo de execução: sem tempo para a execução.
Número de repetições: conforme a tabela para o masculino.

ISONOMIA NA BARRA
Sexo: Feminino
Procedimento: a candidata poderá ser auxiliada por um apoio nos pés, que lhe permita iniciar o teste já com o queixo em ângulo reto e acima do nível do cano da barra e a pegada (empunhadura) em pronação, com os braços já flexionados. Partindo da posição inicial, a candidata deverá manter-se suspensa permanecendo com o queixo acima do nível da barra, sem o apoio dos pés e pelo maior tempo possível. O cronômetro é acionado no momento em que os pés da avaliada deixarem o apoio, e é travado quando o queixo da candidata encostar ou ficar no mesmo alinhamento do cano da barra.
Número de tentativas: será aceita apenas 01 (uma) tentativa
Tempo de execução: conforme a tabela para o feminino

CORRIDA DE 2.200 METROS
Sexo: Masculino e Feminino
Procedimento: o candidato deverá percorrer a distância de 2.200 metros sendo permitido andar durante o teste. Ao final do teste será computado o tempo levado para percorrer a distância prevista.
Número de tentativas: será aceita apenas 01 (uma) tentativa
Tempo de execução: conforme a tabela para o masculino e feminino

Não se vê mais em todo concurso a isometria para mulheres, em substituição a essa prova se cobra flexão de braço, com o corpo na horizontal. Não é comum dizer corrida de tantos metros, mas corrida de 12 minutos. Aí se cobra uma metragem mínima para homem e outra para mulher. Por isso aconselho que vejam a tabela do CFO, cobrada em 2010 que usa a tabela padrão da Polícia Militar, exigida nas atividades internas, tais como promoção, cursos de aperfeiçoamento etc. Nela há uma gradação de pontuação de acordo com a idade, você pode ter um desempenho inferior em uma prova e compensar em outra.

Confira o edital do CFO 2010 – Copeve, ele usa a tabela padrão da Polícia Militar para o TAF e tem ilustrações para compreender melhor a execução das provas:
> Vá até a página 07 do Edital >

Segundo passo: testar na real

Olhe deixe de besteira, não fique imaginando se dá ou não para fazer. Peça ajuda a um amigo ou parente. Pode ser um amigo que também está tentando o concurso, não tenha vergonha, faça o teste de verdade, vergonha pior é não fazer lá na hora.

Conte as barras em cima, quando conseguir passar o queixo, mas desça devagar não solte as mãos lá em cima. Faça que vai abrir todo o braço, quando ele tiver faltando muito pouco para se estender todo, comece a nova barra, no impulso que ainda sobrar. Cuidado para não ficar com o braço retesado e o examinador considerar que você não fez completa.

A pior sensação é você se esforçar em fazer e o examinador ficar repetindo: zero, zero, aí começa a contar e depois volta a repetir: dois, ainda está no dois… e você “ca´peste” fazendo e se cansando

Se quiser tentar a corrida logo na esteira é bom, mas não é a mesma coisa. Lembre-se que na corrida de ir e vir você tem que saber pesar duas coisas, os blocos de madeira precisam ficar mais ou menos no lugar onde tem a marca pintada no chão, mas para acertar o lugar você não deve desacelerar muito na última passada.

Terceiro passo: treinar
Bem, agora que você sabe o quanto é capaz de fazer, está na hora de se preparar caso não esteja fazendo o mínimo. Ou então apenas manter a prática cotidiana, caso consiga fazer.

Se falta pouco para fazer, apenas faça o teste duas vezes na semana, até consegui e depois pode passar a fazer uma vez na semana.

Agora se você está na barra fixa em zero, se nos 12 minutos faz menos de 1.200m, então meu irmão você tem uma jornada para caminhar, batalhar, suar e quem sabe até emagrecer.

Procure uma academia que tenha um instrutor com tempo de lhe acompanhar. Mostre a ele a tabela do TAF e peça que lhe oriente. Tanto para a barra como para correr é preciso está sem sobre-peso para facilitar sua vida. Lembre-se você vai levantar seu próprio peso, se for menor: melhor.
> Veja se essa planilha do Excel pode lhe ajudar >

Matéria relacionada: Curso do Gran Cursos que une treino físico às demais matérias de concurso é destaque no Jornal de Brasília

http://www.capitare.com.br/wp-content/uploads/2011/01/taf2.png

Matéria Gran Cursos

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: