Stive: Funk de desabafo do bombeiro sem água(Major Burity)

11 de abril de 2011

Vídeo em homenagem ao Major Burity e um alerta para todas autoridades públicas pela falta de condições na segurança pública.


Prisões e apreensões de desmanches de carros no Sertão Ba/AL

11 de abril de 2011

Fonte:  Blog do Sertão (Wadson Correia) / CadaMinuto

09/04/2011 21:51

Operação Limpeza: Polícia descobre desmanche de veículos

Duas pessoas foram presas

por Wadson Correia

No início da noite deste sábado (09), as Polícias Militar e Civil realizaram a Operação Limpeza, no município de Mata Grande, no povoado Morro Vermelho, Alto Sertão de Alagoas. Duas pessoas foram presas. A casa de um dos acusados servia como local para o desmanche de veículos. Foram apreendidos vários documentos automotivos, motos e armas.

Segundo o sargento Jalves, policiais da 3ª CIA de Mata Grande e 9° Batalhão de Delmiro Gouveia já vinham investigando a quadrilha há algum tempo. Aelton José Fagundes , 25 anos estava saindo de casa numa moto quando foi abordado pela guarnição e acabou sendo preso em flagrante.

Aelton José estava numa moto CG 150 cc, cor preta, placa PPH-3940/SP, veículo roubado. “Uma das vítimas da quadrilha, que estava conosco reconheceu o acusado na hora. Assim, efetuamos a prisão”, explicou.

Ao entrar na residência, policiais encontram motos desmontadas, vários documentos automotivos, uma espingarda e um revólver, ambos com calibre 32, e onze munições intactas. Petrúcia Fagundes Gouveia, tia de Aelton José, também foi presa e levada para delegacia do município.

Ainda de acordo com o sargento, Aelton José é um dos integrantes da quadrilha que vinha atuado na divisa dos estados de Alagoas/Pernambuco, entre Mata Grande e Inajá-PE, na BR-316. “Outros três carros roubados na região podem ter ligação com a quadrilha. Vamos investigar e fazer a limpeza total na região”, declarou Jalves.

O delegado Walter Cunha, titular do 28° Distrito Policial vai continuar investigado o caso. A operação contou com a participação dos cabos Bernardo e Elenivaldo, soldado L. Carlos e o agente da Polícia Civil, Paulo. Toda operação foi comandada pelo major Reginaldo Rolim e capitão Winston.

 

08/04/2011 02:52

Quadrilha alagoana que atuava na divisa dos estados é desbaratada na Bahia

Os criminosos eram especializados em roubo e desmanche de veículos

por Wadson Correia

Francisco Alves

Quadrilha alagoana que atuava na divisa dos estados  é desbaratada na Bahia

Uma quadrilha alagoana, especializada em roubos de veículos, que agia nas divisas dos estados de Alagoas, Pernambuco, Sergipe e Bahia foi desbaratada após uma denúncia anônima. Seis veículos roubados foram recuperados, a mulher que foi presa trabalhava no fórum de Mata Grande, Sertão de Alagoas. Outras três pessoas também estão presas.

O capitão do batalhão de Paulo Afonso-BA, Alex Rego contou com exclusividade ao CadaMinuto como os policiais descobriram o desmanche de veículos. O chefe da quadrilha conseguiu fugir, segundo os policiais.

De acordo com o capitão, que comanda as rondas nos bairros da cidade de Paulo Afonso, moradores denunciaram que existiam vários carros num galpão e ninguém morava no local, levantando suspeitas. A operação contou também com a participação do Grupo Tático Móvel (GTM).

O galpão onde os veículos roubados eram colocados fica localizado na Rua Sagrada Família, no bairro BTN3, local de pouca movimentação.“Recebemos a denúncia por telefone e fomos analisar. Nossos policiais conseguiram por um espaço na parede, identificar algumas placas e ao pesquisar, detectamos que era produto de roubo”, falou o capitão.

A Polícia Militar baiana contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal para analisar as placas de cada veículo.“Para entrar no galpão precisávamos de um mandado de buscas e apreensões e o comandante Neves conseguiu com o juiz Cláudio Pantoja”, disse Rego.

Seis carros foram apreendidos, além de auto-falantes, toca CD’s automotivos e motores desmanchados prontos para ser vendidos no ferro velho da cidade. No galpão foi encontrado, um Gol geração 01 de placa BJG-8243 de Monte Alegre-SE, Gol geração 03 de cor prata e placa KJL-0110 de Recife-PE, Uma NISSAN FRONTIER de cor preta, placa KHT-4171 Recife-PE e uma D-20 de cor branca, placa MCJ-0560 de Braço do Trombudo-SC. Segundo a polícia todos os veículos eram roubados.

O proprietário do estabelecimento foi localizado e levado para delegacia onde prestou depoimentos. O local foi alugado há aproximadamente dois meses por a uma pessoa que residia, na cidade vizinha de Santa Brígida- BA. Cada mês custava R$ 250,00.

Policiais chegaram a Santa Brígida e encontraram Jane Maria de Freitas, 42 anos. Jane Freitas, que foi presa e levada para delegacia regional de Paulo Afonso. Durante depoimento a acusada, alegou que não sabia que os veículos eram roubados e pertenciam ao esposo identificado por Jânios Deiam de Souza Santos, conhecido por “James Santos”.

“Não sabia que esses carros eram roubados, apenas meu marido comprava para revender”, explicou Jane Freitas. Os policiais perguntaram onde James Santos estava e a esposa respondeu que não sabia e não tinha previsão de retorno.

A polícia baiana identificou que os acusados são naturais de Alagoas, da cidade de Mata Grande, e não descarta que existam diversas pessoas envolvidas na quadrilha. Todo material apreendido foi conduzido para delegacia regional de Paulo Afonso, para ser entregue aos verdadeiros proprietários.

O delegado titular da cidade de Mata Grande, Walter Cunha deve investigar também se os crimes de roubos ocorridos na região têm algum tipo ligação com James Santos que está foragido. Jane Freitas trabalhou no fórum de Mata Grande, lotada no Cartório Eleitoral.

Outro desmanche

O delegado, Idelbrando Alves dando continuidade às investigações descobriu outro desmanche, no município de Santa Brígida, na residência de Jane Freitas, localizada na Rua Padre Cícero.

Policiais do Serviço de Investigação encontraram dessa vez, um caminhão de cor verde, sem placas que servia para transportar os veículos depenados para serem comercializados nos ferro velhos da região, cinco chassis roubados, além de Uno de cor vinho, placas BIG-2734, São Bernardo do Campo, São Paulo foram recolhidos para a delegacia.

Idelbrando Alves confirmou que todo material aprendido pertencia a James Santos, segundo depoimento da esposa presa em flagrante. As polícias dos quatro estados estão mobilizadas a procura do restante da quadrilha. Nessa nova operação foram presas três pessoas, Zé de Abílio Neto, Lúcio da cidade de Ouro Branco/AL. O nome da terceira pessoa não foi divulgado.

Wadson CorreiaWadson Correia


Projeto para segurança pública ainda não deslanchou

9 de abril de 2011

Fonte:

por Jailton de Carvalho

BRASÍLIA. A presidente Dilma Rousseff não se cansou de repetir durante a campanha que a segurança pública seria uma das prioridades se vencesse as eleições. Mas os cem primeiros dias de seu governo indicam que o combate à violência ainda não teve papel de destaque na agenda. Até mesmo a reunião que a presidente faria com os governadores para tratar da segurança ainda não aconteceu. O encontro, previsto para início de fevereiro, foi remarcado para março e, agora, ninguém mais fala sobre o assunto.

A segurança também foi castigada comum corte de R$ 840 milhões no orçamento do Ministério da Justiça com o ajuste fiscal anunciado no início do ano. Atesourada, que corresponde a20% da verba destinada ao ministério, atingiu o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronaci) e, nos próximos meses, deverá ter impacto nas operações de combate ao crime organizado da Polícia Federal. Policiais já se queixam de limites para passagens e diárias.

A reunião entre a presidente Dilma e os governadores, por si só, não desataria os nós da segurança pública. Mas para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, secretário-geral do Forum Brasileiro de Segurança Pública, o encontro marcaria a centralidade do tema na administração do país. Com uma taxa média de 25 mil homicídios por cem mil habitantes, o Brasil está entre os seis países mais violentos do mundo. Só perde para a Rússia.

— A reunião da presidente com os governadores seria fundamental. Seria uma mensagem da importância do tema — afirma Lima.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou antes mesmo da posse que o governo não pouparia esforços e recursos para fazer frente à violência e ao crime organizado, não só no Brasil, mas em países como Bolívia, Paraguai e Peru. Cardozo iniciou um périplo pelos estados para convencer governadores sobre a importância da colaboração em torno da segurança.

—Temos de estar acima dos nossos interesses corporativos, ou não atenderemos a nossos objetivos. É um pacto em que ou enfrentamos o crime organizado e reduzimos a criminalidade ou perderemos a batalha. E quero sair vitorioso dessa guerra junto com meu governador—disse Cardozo, depois de um encontro com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em 18 de janeiro. A audiência com Alckmin foi o primeiro da série de encontros que Cardozo teria com vistas à futura reunião da presidente com os governadores.

Mas a complexidade do tema e o corte do orçamento fizeram o ministério perder o fôlego inicial. A reunião foi adiada, e a equipe de Cardozo, liderada pela secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, passou a trabalhar em silêncio. A equipe está fazendo uma revisão do Pronaci.

—Vai ser um choque de gestão — arrisca um dos técnicos envolvidos nos estudos. Uma das ideias é criar mecanismos de fiscalização para evitar desperdício ou desvio de dinheiro da segurança. Antes o ministério repassava dinheiro para estados e municípios. Com o novo projeto, o ministério deverá acompanhar a aplicação do dinheiro.

Os técnicos também estão traçando planos para consolidar o sistema nacional de informações criminais. Procurados pelo GLOBO, Cardozo e Regina Miki não quiseram falar sobre os cem primeiros dias do governo Dilma na segurança pública. Mas, apesar do adiamento da reunião da presidente com os governadores, existe a expectativa favorável em relação ao governo federal até mesmo entre governadores de oposição. O professor Cláudio Beato, assessor do governa- dor de Minas Gerais, Antonio Anastasia, não poupou elogiou a iniciativas da equipe do ministro José Eduardo Cardozo.

— Estão num processo de reorganização. Querem ter uma gestão mais afiada, para que os projetos aconteçam. Fazer acontecer sempre foi um problema das administrações do PT—disse Beato, até então um dos críticos do governo federal. O governo também prometeu reforçar o controle das fronteiras, mas os Vants (Veículos Aéreos Não-Tripulados) ainda não estão em atividade. Na quinta-feira, a assessoria de imprensa disse que o projeto Vant está mantido, mas não informou quando os aviões começam a voar .


De alma lavada

7 de abril de 2011

É assim que nos sentimos, ao ouvir o Major Burity, de alma lavada. Não é possível que ninguém mais tenha coragem de dizer a verdade. Eu repudio esses “palhaços”, que usam o sindicalismo partidarista apenas para ser do contra e justificar sua falta de vontade de trabalhar. Mas ouvindo o major, nós nos congratulamos porque gostamos do que fazemos, mas estamos extremamente decepcionados com tudo o que está acontecendo.

Logo abaixo está o vídeo da Globo News, com o depoimento de Burity e em seguida alguns comentários recebidos via e-mail, no final um trecho da carta que fez o mesmo Burity, na época capitão ser preso em 2005.

Durante incêndio em um pavilhão de artesanato em Maceió/Alagoas, faltou viatura para operacionalizar o abastecimento de agua para apagar o fogo. O Major Burity, um dos militares mais conceituados do Corpo de Bombeiros de Maceió falou o que pensa sobre as políticas de governo do Estado de Alagoas e por conta disso foi preso. O bombeiro não tem outra missão, se não, SALVAR VIDAS. Por isso, nós bombeiros de Alagoas, pedimos encarecidamente a todas as pessoas de bem do nosso Brasil, que estão cansados das politicagens de nossos governantes que passem esse video adiante. Caso você já tenha sido salvo pelos Bombeiros, ou até mesmo pelo proprio Maj Burity, coloque seu depoimento e passe a frente. Pois para que o homem mal prospere, basta que os homens bons não façam nada.


Abaixo está o vídeo com o depoimento do Major, NAO É VIRUS, assista e forme sua opnião se você deseja denunciar o caos que vive Alagoas ou prefere compactuar com a tentativa de censura do Governador Teotonio Vilela.

Se você é jornalista e sofreu com a censura, PASSE ESSE EMAIL ADIANTE!!!
Se você já foi salvo pelo corpo de bombeiros ou teve algum parente salvo, PASSE ESSE EMAIL ADIANTE!!
Se você não aceita mais tanta enrolação e descaso dos governantes no Estado de Alagoas, PASSE ESSE EMAIL ADIANTE!!!!

Pois dessa forma estaremos mostrando nossa solidariedade a esse GUERREIRO, FORÇA BURITY!!!

Depoimento do Presidente da Assossiação dos Oficiais Militares de Alagoas:

“O major Buriti não ofendeu ninguém, simplesmente foi a voz de muitos bombeiros que querem falar e não têm coragem. A situação está insustentável, trabalhamos numa estrutura sucateada e se ninguém colocar a boca no trombone, nunca mudará. Não existe um Corpo de Bombeiros com dois carros tanque, apenas. Se tiver um problema mais sério em Maceió a sociedade estará totalmente desprotegida. Ele explodiu porque ninguém aguenta mais. Estamos por um fio”

Abaixo colocarei a carta feita por esse mesmo Major, onde denunciou já em 2005 o descaso do governo com a estrutura de Segurança Pública.

Em 2005, inconformado com a falta de investimentos na corporação, ele enviou um e-mail às redações dos jornais e TV’s fazendo uma espécie de ‘desabafo’.

No e-mail, ele fez a seguinte declaração: “Jamais conseguirei explicar a sensação de ser acordado a qualquer hora, tempo ou local para cumprir o meu juramento e pedir a Deus que, caso venha a morrer, seja salvando uma vida. Jamais conseguirei entender por que tenho de passar pela frustração de não conseguir explicar a meus homens o motivo pelo qual, num investimento de 10 milhões de reais em viaturas, não virá nada para o Corpo de Bombeiros. Jamais conseguirei explicar para meu soldado o porquê de num incêndio ele precisar revezar o capacete e respirar fumaça ao invés de ter o seu próprio equipamento de segurança, e quando passar mal ser atendido nos corredores lotados de um hospital”, disse ele.

E continuou: “Jamais conseguirei explicar para os meus homens o motivo pelo qual, em uma noite de futebol, onde a milionária Confederação Brasileira de Futebol (CBF) apresenta seus milionários craques, o Estádio Rei Pelé passa por uma reforma de 500 mil reais, enquanto o sargento Everaldo começa a enfrentar o câncer de pele adquirido nos 29 anos salvando vidas nas praias e sabendo que com muito menos que 500 mil reais eu construo postos cobertos e protejo aqueles que se orgulham de enfrentar a natureza para salvar vidas”, diz outro trecho.

E o militar também falou das condições de trabalho nos grupamentos bombeiros do interior do Estado: “O nosso pessoal também sofre muito no interior, geralmente eles não têm nem fardamento e têm de superar todas as dificuldades estruturais, como a falta de equipamento e de condições de trabalho”, completou.

Depois da divulgação do e-mail, Carlos Buriti, que à época, ainda estava na patente de capitão, ficou detido por cinco dias no quartel geral do Corpo de Bombeiros. Após esse prazo, ele ganhou liberdade pelo então decisão do juiz da Vara Militar James Magalhães, hoje desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas. Em seu despacho, o magistrado afirmou que a prisão do oficial era “ilegal” e “imoral”.