Variedades (2009 a 2007)

Redução de custos

exame

Continuando na onda de reduzir, vamos falar agora sobre a aquisição de valores e métodos da Gestão Empresarial pelo espaço de serviços públicos. Tenho acompanhado as edições dos últimos anos da Revista Exame e para o mundo capital cada adoção da Administração Pública de formas de gerir da iniciativa privada é aclamada como um exemplo de salvação, o único caminho capaz de socorrer o combalido e caótico sistema público. Não posso discordar ao todo, realmente muita coisa precisa mudar no serviço público. Mas sou sincero em dizer que tais mudanças liberais ao comando dos sociais-democratas é sempre mais difícil de engolir porque eles fazem sem “dó nem piedade”. Mas os trabalhistas, atualmente de centro-esquerda tais como o do PSB ou os indefinidos e multifacetas do PMDB, também fazem os tais arrochos, de uma forma diferente, mas fazem.

Por um lado, acabando com alguns vícios antigos de um coronelismo sanguessuga e por outro lado nos compelindo a novos procedimentos do dia-a-dia, para alguns são ações esperadas a muito tempo

Quem como governador de um Estado, ou prefeito de uma grande capital, não gostaria de ter pessoas como Jorge Gerdau demonstrando pela prova dos nove que pode reduzir muito do custo sem nem mesmo enfrentar as bancadas no legislativo, tão simplesmente através de ajustes internos da máquina. Agora, você meu amigo da segurança pública, pode perguntar, sim caro autor, e daí isso com a gente? Bem meu caro leitor, eu respondo: qual setor você acha que comprovadamente tem o maior número de dinheirama jogada no ralo, com ações descoordenadas, que possui milhares de profissionais todos empenhados no mesmo objetivo, agindo em grupos que parecem se desconhecer. Quer uma atitude mais dispendiosa de que um grande número de departamentos agindo sem coordenação? Pois é, o primeiro alvo deste ajustes inevitavelmente, quando se trata da esfera estadual é a segurança pública. Um grupo de empresários tem investido do seu precioso tempo, servindo de consultores para gestores públicos.

Mas meu papo, de longe pretende ser coisa de sindicalista ou de partido operário, não estou dizendo que são medidas negativas, são na verdade, medidas que podem render bons frutos, mas que nos afetam em cheio. Por um lado, acabando com alguns vícios antigos de um coronelismo sanguessuga e por outro lado nos compelindo a novos procedimentos do dia-a-dia, para alguns são ações esperadas a muito tempo. Mas não quero posar de dono da verdade, ou único que compreende a situação, por isso vou disponibilizar dois links que atestam o que digo. Mas não se esqueçam quando a frota de seu órgão for “chipada” para controlar o consumo de combustível, quando forem terceirizados serviços de limpeza e manutenção de viaturas, quando não houver mais rancho e vocês receberam ticket-alimentação, quando forem cortadas diárias graciosas, quando censos do servidorismo lhe atordoarem o juízo ou quando gratificações ainda não consolidadas em lei lhes forem retiradas, pode crer que a trupe dos empresários missionários está rodando seu Estado.


A terceirização da manutenção da frota foi a frente que surtiu mais resultados, com uma economia de 5 milhões de reais até dezembro de 2007. Além de cortar custos inúteis, a medida liberou 300 homens, que antes se dedicavam à manutenção dos veículos, para o policiamento nas ruas. Outra iniciativa para baixar as despesas foi a instalação de aparelhos eletrônicos nos automóveis da polícia para a medição do consumo de combustível. “A diferença por litro entre os batalhões foi gritante”, diz o subsecretário de Segurança, Marcio Colmerauer.

A cruzada de Gerdau | 26.06.2008
Depois de passar o comando da siderúrgica da família para o filho André, Jorge Gerdau hoje se dedica obstinadamente a levar conceitos de boa gestão para a esfera pública: http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0921/gestaoepessoas/m0162633.html

Governo de resultados | 20.03.2008
Ao incorporar princípios do mundo empresarial, o estado do Rio de Janeiro conseguiu tornar-se mais eficiente e sanear suas contas: http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0914/gestaoepessoas/m0154783.html#

Agora, um dos principais objetivos é oferecer bônus por resultados aos funcionários públicos. Em Minas Gerais, cerca de 10 000 funcionários ganham bônus de até um salário atrelados a metas específicas para suas áreas. Outro passo é fazer um levantamento dos trâmites burocráticos entre o momento em que certos delitos são cometidos até o momento em que o criminoso é punido. “O objetivo é desburocratizar esse processo e torná-lo mais eficiente”, diz o subsecretário de Segurança Colmerauer. “Em várias frentes, estamos buscando maneiras novas de abordar problemas antigos.”

Anúncios